NOVO ANO II Série Haikanianas) ROBERTA LESSA


00000000
TEMPO DE VIDA
LEVEZA ENTRE SERES
NOVO MOMENTO
Anúncios
Published in: on 30 de dezembro de 2017 at 10:03  Comentários desativados em NOVO ANO II Série Haikanianas) ROBERTA LESSA  
Tags: , , ,

Improvável Sentimento (Série Diálogos Poéticos) Roberta Lessa


10440661_10203798190808339_5900994148837332695_n

 

Num doce momento, o vento, o acalento:
– Coube ao poeta o versar silente sobre rimas inaudíveis.

Num doce vento, o acalento, o alento:
– Soube o esteta o burlar eloquente sobre nuvens improváveis.

Num doce acalento, o alento, o momento:
– Incube o careta o medrar ardente sobre tempos inaceitáveis.

Num doce alento, o momento, o tormento:
– Desencube o profeta o profanar indecente sobre mentes inalienáveis.

Num doce momento, o tormento, o adiamento:
– Maquitube o asceta o criar envolvente sobre amores imprevisíveis.

Num doce tormento, o adiamento, o momento:
– Aljube o proleta o procriar experiente sobre lugares invisíveis.

Num doce adiamento, o momento, o vento:
– Ibirube o atleta o difamar adjacente sobre loucuras insustentáveis.

Published in: on 21 de dezembro de 2017 at 18:11  Comentários desativados em Improvável Sentimento (Série Diálogos Poéticos) Roberta Lessa  
Tags: , ,

Dá Licença Dona Rosa…(Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA


3d7d6a9dbf

Ô de casa…

Dá licença?

Senhora Dona Rosa: querida, sábia e luminosa poeta das letras por hora incabíveis no envelopado silêncio dos homens incultos na arte da boa escrita: atenta às suas palavras tão bem postas, ouso arriscar homenagear-lhe o talento.
– Soube das palavras e de todas formas à elas ainda por serem dadas, e de imediato a poesia se fez ato…
– Coube à elas, as palavras, saírem das métricas léxicas que as deixavam anoréxica do criar, distanciando o ser de seu próprio porvir…

– Houve de imediato um ato falho de minha parte, admito: reler e tentar compreender com a mente. E credito à isso minha tal inexperiência na escrita enriquecida de novas e necessárias linguagens e formas…

… e assim o fez com esmero, a rósea poeta, e com o desajuste devido, necessário e essencial de uma verdadeira dona de palavras, escreveu. Tão ensimesmada nem se percebe enquanto tal, poeta; pois tal e qual seu instrumento poético maior não mais cabe em si e se esvai em brumas de saberes que não se prendem jamais ao ilusório universo da normalidade forçada gerada em função dos que se moldam e nutrem o  compulsório e insaciável poder tão almejado por aqueles que se apropriam indevidamente dos libertários pores de sol que inspiram olhares, gestos e corações poéticos …

– Sei dos pores do sol, são eles portais que geram liberdade aos que sabem onde reside o verdadeiro  poder  Sacral.

Saístes de sua própria estética, nobre escritora, para galgar através de outras fonéticas, dimensões que só o doces e poderosos poetas sabem, devem, ousam e conseguem acessar.

Quisera eu um dia lá estar à galgar também esses saberes, dizeres e fazeres que poucos tem privilégio de alcançar.

À  todos deixo um infinito abraço munido de desejos de que tenhas um natal pleno de harmonia interior, entre os seus e todos os demais que tanto dela necessitam…

Com “A” de Afeto!

 

OBS.: Em diálogo com a crônica “Envelhescência”, de autoria de Rosa Alves. (Acesso: https://www.recantodasletras.com.br/cronicas/6204384 )

Published in: on 21 de dezembro de 2017 at 17:43  Comentários desativados em Dá Licença Dona Rosa…(Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA  
Tags: , , , ,

CHÃO (Série Sete Por Sete) ROBERTA LESSA


FOTO POEMA-Desafios e Vitórias (out 2017)RL.png
NA MASSA DISFORME
A TERRA FIRME ECOA

MOLHANDO SUA CARNE
ESTÁ A CHUVA ESPESSA

ESTA MASSA MOLHADA É
CHUVA ENXARCA ABARCA

A TERRA EM BARRO
TIRADA NA ENXADA

MÃOS FORMATAM ALMA
NO CHÃO PRÉ COZIDO

JUNTAM TODOS OS PEDAÇOS
EXPRESSAM SUAS PAREDES

EM NUAS CASAS CRESCIDAS
FLORESCEM NOVAS FAMÍLIAS

Inicio hoje a “Série Sete Por Sete”, espero que gostem.
Com “A” de Afeto, RL

Published in: on 11 de outubro de 2017 at 15:41  Comentários desativados em CHÃO (Série Sete Por Sete) ROBERTA LESSA  
Tags: , , ,

REVERENCIA AO SAGRADO (Série Folclórica Memória) ROBERTA LESSA


19702064_10156547948929657_2760677329475349295_n

 

SOBRE REVERENCIA AO SAGRADO: Um convite à reflexão

Grupo de Congada do Divino Espírito Santo de Piracicaba – sp

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Um grupo de tradição deve reverencia aos antepassados, aqueles que antes vieram e transmitiram o legado que um dia receberam também. Este ciclo torna-se um dos pilares da continuidade de uma manifestação folclórica, ritualística e popular.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Aqueles que entram em um grupo de tradição também deve elevar suas ações à esse nível e com real humildade respeitar os veteranos jamais se colocando à sua frente (tenho visto muitos falando sem conhecimento de causa em entrevistas, ficando à frente de fotos e ou impondo seus saberes aos que já estão na estrada há muito mais tempo, pensemos um pouco em nossos pensamentos, atos e palavras).

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Os componentes da velha guarda da Congada, por exemplo, mesmo idosos e impacientes, iletrados da academia formal, errando em falas e passos, mesmo sem a mobilidade da juventude; permanecem firmes e resolutos em um grupo e são os que transmitiram seus saberes à todos nós, desde crianças até adultos, lembrando-nos sempre a importância de sua permanência no grupo;

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

A nossa cultura caipira ensina-nos desde pequeninos à respeitarmos os mais velhos, aprendendo o que futuramente iremos ensinar,são eles nossos espelhos e como os tratamos refletirá como seremos tratados em nossa senilidade.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Para o adulto não criado nessa condição, muitas vezes fica difícil aceitar que mesmo sem formação convencional, a sabedoria popular de um ser de tradição supera a sua. Devemos jamais esquecer da importância dessa humildade, muito rara hoje em dia.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Muitas vezes no afã do momento passamos por cima do verdadeiro sentido que unifica um grupo de tradição, pois nosso ego fala mais alto. Dessa forma é bom sempre rememorar o que vivenciamos com nossos veteranos e ou nos questionarmos profundamente, antes de agirmos como donos de verdades e nos colocarmos em evidência e acima de nosso Sagrado Maior:

-Quem sou eu no grupo que faço parte?
-Porque faço parte desse grupo?
-O que me conecta ao grupo?
-O quanto aprendo com o grupo?
-O quanto faço para o grupo?
-O que represento no grupo?
-Qual a importância do meu grupo?

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Um grupo de tradição folclórica, ritualística e popular é cada um de nós somando forças em uma conexão com o Sagrado que habitamos e somos habitados.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Quem deve ser evidenciado é o Divino Espírito Santo, jamais o ser humano.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Quando na dúvida, coloque o Sagrado na frente e deixe -se levar pelas ondas de Sua sabedoria cósmica.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

LUZ…
LUZ…
LUZ…

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Nenhum texto alternativo automático disponível.

E SE (Série Filosofiando Ideias) ROBERTA LESSA


 66789_10200267674027626_1858401289_n.jpg
FILOSOFIANDO IDÉIAS – E SE…
E se cantássemos aos brados?
E se creditássemos esperança?
E se transformássemos os sonhos?
E se concretizássemos esperanças?
E se fomentássemos a união?
E se construíssemos hojes?
E se procurássemos os pares?
E se fortalecessemos o que somos?
E se recriássemos a arte?
E se procurássemos o outro?
E se houvesse amanhãs?
Prefiro o agora, devagar… construído com nossos tijolos feito de gente de carne e osso.
Para que toda essa escrita?
Para alertar que se a gente não cuidar de nosso jardim, vem o “bicho Papão” e cuida daquilo que é nosso por direito humano…
Cuidemos de nosso jardim… de nossa arte… é a nossa parte….mesmo que imensamente pequeno é o nosso jardim.
EM APOIO Á NÓS, POVO ARTEIRO DE PIRACICABA…
Imagem dA Internet

DESABAFO (Série Filosofiando Ideias) ROBERTA LESSA


 22222.jpg
É incrível como as pessoas desvalorizam nossas tradições e os grupos e pessoas que há décadas representam não só a municipalidade, mas todo o contexto do coletivo cultural, metafísico, simbólico que estrutura parte de todo processo cultural de um povo, de nosso povo, dos verdadeiros “caipiracicabanos”.
AHHH!
Não é a toa que somos abastecidos diuturnamente do mais caquético serviço de “desculturalização social:'”
Muitos merecem essas distorções culturais que nos aplicam diariamente como vacinas emburrecedoras e assim muitos agem por impulso impensado e pela falta de esclarecimento do verdadeiro valor e dignidade de nossa tradição!
A propósito, outra coisa, joguem no lixo suas tradições e certamente deixarão de lado um dos pilares que sustenta o que você é!
“Arre égua”

SOBRE PRÁTICAS CULTURAIS (Série Folclórica Memória) ROBERTA LESSA


  16188_10204692441324043_2156087802831407139_n.jpg
O apaixonar-se pela literatura de determinado período nos faz questionar o quanto somos abastecidos por ela, o quanto o gene dessa necessária continuidade cultural torna-se um processo de crescimento intelectivo e vivencial, isso de forma gradual e (in) felizmente irreversível. Atualmente com a percepção de afirmativas de que somos seres em evolução ou optamos pelo baixo nivelamento do grau de nossas percepções, ou somos por nós mesmos impelidos a revolucionar formas de pensamentos e re valoração daquilo que desejamos acessar e ter como padrão de conduta, escolhas e posicionamentos.
Resta-nos o questionar do porque nos negamos diuturnamente ao exercício do livre pensar, da introdução da boa produção literária, enquanto algo que os eleve como ser social e culturalmente providos, abastecendo-nos de um fremente desejo de continuidade de acesso a saberes diversificados e multiplicados em seus conceitos e práticas, mesmo que antagônicas e ou complementares. Há escritores que se primam em seus sublimes e necessários talentos, que permeiam o lúdico e o concreto, oferecendo ao mundo uma nova forma artística de se compreender o outro, a si, os objetos que nos são oferecidos à convivência.
Desta feita, elevo ainda mais as participações em vivências literárias como estas.

CIÊNCIA E MAGIA (Série Reflexiva) RLessa


579171_10201259654866527_108118429_n
A CIÊNCIA AINDA PERMANECE DE MÃOS DADAS COM ANTIGOS MAGOS.
O TEMPO MESMO ACELERADO AINDA É A RESPOSTA PERMANENTE NO IMPASSE DESTA ENCRUZILHADA DA CIÊNCIA E O OCULTISMO QUE SOMOS SUBMETIDOS.
O ESCLARECIMENTO DA DÚVIDA HÁ DE SE ESTABELECER QUANDO DEIXARMOS AS GERRAS E COMPETIÇÕES INÚTEIS ENTRE INTELECTO E INTUITIVO.
AO FECHARMOS NOSSAS MENTES PARA O NOVO EXISTENTE NOS SABERES OCULTOS ESTAMOS OBSCURECENDO E IMPEDINDO O AVANÇO DA HUMANIDADE. È NECESSIDADE DE UM SÉRIO E PROFUNDO OLHAR PARA OS DETALHES E SEGREDOS QUE A VIDA NOS DESVELA A CADA INSTANTE QUE NOS PASSA MUITAS VEZES DESAPERCEBIDO.
CUIDEMOS DE NOSSOS PENSAMENTOS, SE NÃO OUTROS PENSARÃO POR NÓS… BUSCAS SÃO NECESSÁRIAS, DIRECIONADAS E PROFUNDAMENTE PROVIDA DE CIÊNCIA E MAGIA.

TRANSMUTAÇÃO NACIONAL (diálogo poético) RLESSA


rainbowbridgex

Sempre é bom saber o peso e o real significada das palavras, principalmente no que se refere à clareza de se expor uma ideia nessa sociedade tão provida de despreparo de uma boa  e salutar interpretação de texto, onde o óbvio para alguns é simplesmente a dúvida para tantos, onde a preguiça da escrita se conjuga com a inoperância gramatical de um cidadão que sabe criticar repetindo o que já se falou e reproduzindo o que por outro foi comentado. Os seres humanos tentem ao esquecimento de sua própria condição de Ser independente e pensante e por isso é tão facilmente conduzido ao universo da submissão voluntária.

Seu senso crítico nada mais tem sido do que o forjar de uma espécie apropriadamente condizente com o poderio que se arma daquilo que deveria ser o direito de todos, mas que usualmente. apenas poucos privilegiados obtém às duras penas, perdas  e castigos: a liberdade individual.

Nesse ínterim pouco se sabe da boa gramática, quiçá do verdadeiro sentido de cada palavra, à determinas as ações depois de coerente reflexão. Lendo um texto comparativo de uma personagem social conhecida e que para evitar aumento de iope dessa pessoa um tanto quanto creio eu, equivocada com seus conceitos,evito citar nomes. No texto que li e entre muitos outros com o mesmo teor midiático a comparam-na  à uma prostituta de luxo à serviço dessa vergonhosa e desproporcional política nacional que se implantou em nossa nação.

Peço licença nesse momento literário a fim de esclarecer que percebo ser a prostituição um assunto muito extenso, profundo e tão enraizado na sociedade humana que representa importantes e diferenciados aspectos que tecem fortes características  aos nossos padrões evolucionais, eu mesma muitas vezes percebo-me prostituta e com toda sua honra e “putice”, pois sei o quanto essa função social é tão usual, necessária e tão desvalorizada pelos seres de “boa índole” que a sociedade insiste em manter no poder.

Quando escrevo poder, não excluo aquele pequeníssimo poderio sendo implantado sistema e efetivamente dia à dia, segundo à segundo, por essa máquina de desconscientização que anda à todo vapor em nossas mentes. E o resultado desse jogo é dez à zero aos poderosos de plantão.

Ser puta é, além de vestidos e posições de encarecidas posses e poses bem montadas em estúdios improvisados ou não, é um serviço de saneamento humano, onde é depositado nos muitas vezes apodrecidos úteros já tão usados a doença da volúpia gananciosa humana que se traduz na grande maioria dos corpos já tão utilizados por nós fisicamente com câncer e infelizmente descoberto tão tardiamente que a maioria das putas pobres sequer tem a chance de tratamento, quiçá condições econômicas para tal.

Enquanto muitas putas partidariamente profissionais exibem “grifes” nos planaltos e passarelas da vida, ainda são por nós ovacionadas como exemplo de postura e candura ilibada.mas nada é por acaso existirem esses “rostinhos bonitos em corpos perfeitos”, a serem expostos feito troféus por aqueles que lhe montam feito putas e vestem-nas de pureza.

O complexo disso tudo não é só a inação e a total falta de consciência de quem os coloca e deixam onde estão, é a banalização dessa condição, travestindo-a de cômica fatalidade cênica, onde os atores podem até serem substituídos à cada temporada, mas quem os manipula feito marionetes permanece protegidos e incógnitos nas coxias da vida.

Triste a condição….

EM DIÁLOGO COM A CRÔNICA “SUGIRO TIRAR O VESTIDO”, DE AUTORIA DE ILMAR.

Acesso em Recanto das Letras: http://www.recantodasletras.com.br/cronicas/5786784

O LADO ESCURO DA LUA

Minha maneira de ver, falar, ouvir e pensar o mundo... se quiser, venha comigo...

palavra[interna]

JAMES MORAIS & LAIANA DIAS | BRAZIL | Poesias & Reflexões

Liberte-se!

Tem coisas que só sai da gente por escrito.

Curtir THE Novo

Espiritualidade, Alegria e tudo que há THE novo

marcianossabemler.wordpress.com/

Para gostar tanto de livros, só poder ser ETE!

DITIRAMBOS

Poemas, Ensaios, Críticas, Biografias, Tudo Sobre Poesia e Poetas Realmente Importantes. A Poesia em Diálogo com outras Artes. A isso se propõe o Ditirambos. Haroldo de Campos: Não importa de fato chamar o poema de poema: importa consumi-lo, de uma ou outra forma, como coisa.

Experimentarte

espaço de expressão do artista

Rubem Alves:

Ler é fazer amor com as palavras.(blog sobre Rubem Alves)

Rubem Alves | Blog não oficial

coletânea de textos desse grande Educador

Esquizofrenia das Artes

Blog dedicado a divulgação cultural e artística

Cacos Metafóricos

por Petterson Farias

Nas Duas Margens

Nas duas margens - blogue de Vamberto Freitas

O LIVRO DOS SERES IMAGINÁRIOS

Vivemos pelo poder das coisas que não existem. Por isso, os deuses são tão poderosos. (Paul Valery)

Poesia Lunar

cercada de poesia por todos os lábios

%d blogueiros gostam disto: