Dá Licença Dona Rosa…(Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA


3d7d6a9dbf

Ô de casa…

Dá licença?

Senhora Dona Rosa: querida, sábia e luminosa poeta das letras por hora incabíveis no envelopado silêncio dos homens incultos na arte da boa escrita: atenta às suas palavras tão bem postas, ouso arriscar homenagear-lhe o talento.
– Soube das palavras e de todas formas à elas ainda por serem dadas, e de imediato a poesia se fez ato…
– Coube à elas, as palavras, saírem das métricas léxicas que as deixavam anoréxica do criar, distanciando o ser de seu próprio porvir…

– Houve de imediato um ato falho de minha parte, admito: reler e tentar compreender com a mente. E credito à isso minha tal inexperiência na escrita enriquecida de novas e necessárias linguagens e formas…

… e assim o fez com esmero, a rósea poeta, e com o desajuste devido, necessário e essencial de uma verdadeira dona de palavras, escreveu. Tão ensimesmada nem se percebe enquanto tal, poeta; pois tal e qual seu instrumento poético maior não mais cabe em si e se esvai em brumas de saberes que não se prendem jamais ao ilusório universo da normalidade forçada gerada em função dos que se moldam e nutrem o  compulsório e insaciável poder tão almejado por aqueles que se apropriam indevidamente dos libertários pores de sol que inspiram olhares, gestos e corações poéticos …

– Sei dos pores do sol, são eles portais que geram liberdade aos que sabem onde reside o verdadeiro  poder  Sacral.

Saístes de sua própria estética, nobre escritora, para galgar através de outras fonéticas, dimensões que só o doces e poderosos poetas sabem, devem, ousam e conseguem acessar.

Quisera eu um dia lá estar à galgar também esses saberes, dizeres e fazeres que poucos tem privilégio de alcançar.

À  todos deixo um infinito abraço munido de desejos de que tenhas um natal pleno de harmonia interior, entre os seus e todos os demais que tanto dela necessitam…

Com “A” de Afeto!

 

OBS.: Em diálogo com a crônica “Envelhescência”, de autoria de Rosa Alves. (Acesso: https://www.recantodasletras.com.br/cronicas/6204384 )

Anúncios
Published in: on 21 de dezembro de 2017 at 17:43  Comentários desativados em Dá Licença Dona Rosa…(Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA  
Tags: , , , ,

REVERENCIA AO SAGRADO (Série Folclórica Memória) ROBERTA LESSA


19702064_10156547948929657_2760677329475349295_n

 

SOBRE REVERENCIA AO SAGRADO: Um convite à reflexão

Grupo de Congada do Divino Espírito Santo de Piracicaba – sp

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Um grupo de tradição deve reverencia aos antepassados, aqueles que antes vieram e transmitiram o legado que um dia receberam também. Este ciclo torna-se um dos pilares da continuidade de uma manifestação folclórica, ritualística e popular.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Aqueles que entram em um grupo de tradição também deve elevar suas ações à esse nível e com real humildade respeitar os veteranos jamais se colocando à sua frente (tenho visto muitos falando sem conhecimento de causa em entrevistas, ficando à frente de fotos e ou impondo seus saberes aos que já estão na estrada há muito mais tempo, pensemos um pouco em nossos pensamentos, atos e palavras).

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Os componentes da velha guarda da Congada, por exemplo, mesmo idosos e impacientes, iletrados da academia formal, errando em falas e passos, mesmo sem a mobilidade da juventude; permanecem firmes e resolutos em um grupo e são os que transmitiram seus saberes à todos nós, desde crianças até adultos, lembrando-nos sempre a importância de sua permanência no grupo;

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

A nossa cultura caipira ensina-nos desde pequeninos à respeitarmos os mais velhos, aprendendo o que futuramente iremos ensinar,são eles nossos espelhos e como os tratamos refletirá como seremos tratados em nossa senilidade.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Para o adulto não criado nessa condição, muitas vezes fica difícil aceitar que mesmo sem formação convencional, a sabedoria popular de um ser de tradição supera a sua. Devemos jamais esquecer da importância dessa humildade, muito rara hoje em dia.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Muitas vezes no afã do momento passamos por cima do verdadeiro sentido que unifica um grupo de tradição, pois nosso ego fala mais alto. Dessa forma é bom sempre rememorar o que vivenciamos com nossos veteranos e ou nos questionarmos profundamente, antes de agirmos como donos de verdades e nos colocarmos em evidência e acima de nosso Sagrado Maior:

-Quem sou eu no grupo que faço parte?
-Porque faço parte desse grupo?
-O que me conecta ao grupo?
-O quanto aprendo com o grupo?
-O quanto faço para o grupo?
-O que represento no grupo?
-Qual a importância do meu grupo?

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Um grupo de tradição folclórica, ritualística e popular é cada um de nós somando forças em uma conexão com o Sagrado que habitamos e somos habitados.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Quem deve ser evidenciado é o Divino Espírito Santo, jamais o ser humano.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Quando na dúvida, coloque o Sagrado na frente e deixe -se levar pelas ondas de Sua sabedoria cósmica.

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

LUZ…
LUZ…
LUZ…

VINDE DIVINO ESPÍRITO SANTO…

Nenhum texto alternativo automático disponível.

MINHAS SOMBRAS (Série Reflexivas) RLESSA


1385349_10201275231455932_300585773_n

 

Sombras e poemas adentram o cômodo que abriga as sensações do viver, sobra -me a desesperança sendo recriada pelo nublado dia de quem um dia ousou sonhar.

A PELE CLARA ABENÇOADA PELAS CHAGAS DA MEMÓRIA, HOJE RISCADAS EM TEMPOS DANÇANTES E PELAS FACES QUE UM DIA FORA TÉPIDA E LÍMPIDA DE HISTÓRIA.

Ventos clássicos e invernais tumultuam cortinas com janelas de abas serradas, supondo serem eles alados completos e libertos, sorvem o fruto daquilo que desejam os insones em noites aquecidas de memórias.

A VOZ ROUCA VENTA PALAVRAS INAUDÍVEIS PARA OS QUE NÃO MAIS SABEM ESPERAR A VIDA POR CHEGAR PELO FADO DE NÃO MAIS DESPERTAR A CERTEZA DA PROFUNDIDADE DO VIVER.

Salas rompem em solilóquios antes só alcançados pela metáfora do viver e soma-se ao solitário lustre alumiado em velas que cintilam cristais seculares.

SOUBE DOS PASSOS INCERTOS O CORPO E ADENTRANDO CAMINHOS TENTOU ATALHOS PARA REALIZAR SONHOS DE IMPOSSÍVEIS VEEMÊNCIAS E CONTUSÕES CARACTERÍSTICAS EM ALMAS FRATURADAS.

Faces gélidas e pérfidas demonstram nesgas que multiplicam o tempo do viver, pululam-me os tempos que povoaram fomes insaciadas de amanhãs de quem pensou ser poeta.

A MÃO DIMINUTA CONSTITUI FÓRMULAS IMPROPRIAS DE TOQUES EM COLINAS DE HUMANIDADES TARJADAS E FORJADAS DE SÓLIDAS SOLIDÕES.

Arvoredos rompem florestas tecendo inverdades na fronte burlesca da montanha que arrefeceu noites aguardando em vão o alvorecer das folhas orvalhadas do carvalho desnutrido.

PES DESNUDOS DE CAMINHOS SORVEM PASSOS ENTRE PEGADAS JÁ MARCADAS EM ONTENS VIVENCIADOS POR CAMINHANTES SORVIDOS DE HISTÓRIAS.

CARLOS BRASILIO CONTE (Série Ode Em Casa( ROBERTA LESSA)


FOTO POEMA- Universos me habitam.jpg

Que eu saiba tanto quanto o que sabes para poder eu  seguir em frente na minha senda.

Que eu possa tanto quanto o que podes para poder partir em segurança na minha rua.

Que eu busque tanto quanto o que buscas para poder eu fruir em harmonia na minha lida.

Que eu queira tanto quanto o que queres para poder eu  abstrair em luz na minha ciência.

Que eu mereça tanto quanto o que mereces para poder eu  adquirir em paz na minha vida.

Que eu reconheça tanto quanto o que reconheces para poder eu  resilir em fé na minha voz.

Que eu acesse tanto quanto o que acessas para poder eu suprir em força na minha calma.

 
CARLOS BRASÍLIO CONTE, PONTUAIS NOTAS DE SABEDORIA NO MOMENTO E MEDIDA EXATA…
Published in: on 16 de agosto de 2016 at 12:32  Comentários desativados em CARLOS BRASILIO CONTE (Série Ode Em Casa( ROBERTA LESSA)  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

DUDU FALCÃO (Série Ode Em Casa ) ROBERTA LESSA*


0000.jpg
TEMPO DE BOA MÚSICA
meu tempo é sempre
DIA DE BOA COMPANHIA
meu dia é hoje
HORA DE BOA MEMÓRIA
minha hora é constante
MINUTO DE BOA IDEIA
meu minuto é o bastante
SEGUNDO DE BOA POESIA
meu segundo é este
MOMENTO DE BOA VOZ
meu momento é agora
INSTANTE DE BOA PRESENÇA
meu instante é você
 
DUDU FALCÃO ME SURPREENDEU NAS ENTRE LINHAS DE MINHA POESIA, DEIXANDO -SE INVADIR E INVADINDO-ME À PONTO DE DEIXAR-ME TONTA DA VIDA E À SEGUIR À DERIVA DE SUA POESIA E MUSICALIDADE

ODE AO POETA DE ALMAS (Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA/TRACAJA


15074_10200279957294700_294124070_n

 

(ODE AOS POETAS DE PLANTÃO)

Queridos poetas de alma:

Cada poeta desse Recanto tem me surpreendido com sua arte de escrita, de iluminura gramatical que tece, ao meu observar, miríades poéticas que corporificam identidades próprias de escrita.

Um olhar que com palavras se explica…

Um saborear que com rimas se aplica..

Um ouvir que com poemas se corporifica…

Um tocar que com medidas se metrifica…

Um caminhar que com compasso se pratica…

Um paladar que com ritmos se multiplica…

Um sentir que com métricas se amplifica…

Amar a arte da escrita é nela tecer poesia que mesmo que concreta, romântica, minimalista, moderna ou tantas outras formas poéticas de expressão constrói a identidade de cada um que ousa essa arte.

Há tanto a apreender, tanto à compreender, tanto à surpreender…

Mãos às obras poéticas, nobres e eternos  poetas.

EM DIÁLOGO COM O POEMA “QUANDO”, DE AUTORIA DE TRACAJA.

Published in: on 30 de julho de 2016 at 0:16  Comentários desativados em ODE AO POETA DE ALMAS (Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA/TRACAJA  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

ANIVERSÁRIO DA GRÁ (Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA


11174990_10205071617643214_3774925491046010916_n

Poderia presenteá-la com uma joia, das mais valiosas a única, e então o Sagrado fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre pérolas.

Poderia presenteá-la com um doce, dos mais saborosos, o único, e então o Eterno fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre delícias.

Poderia presenteá-la com uma flor, das mais perfumadas, a única, e então o Iluminado fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre aromas.

Poderia presenteá-la com um calçado, dos mais confortáveis, o único, mas o Pai fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre caminhos.

Poderia presenteá-la com uma roupa, das mais macias, a única,mas o Altíssimo fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre sentimentos.

Poderia presenteá-la com um afago, dos mais ternos, o único, mas o Sabedor fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre emoções.

Poderia presenteá-la com uma dádiva, das mais divinas, a única,  mas o Generoso fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre tradições.

 

Em Homenagem à Graziela Angelucci, um ser de luz que me faz acreditar ainda mais no ser humano.

 

Published in: on 23 de maio de 2016 at 22:49  Comentários desativados em ANIVERSÁRIO DA GRÁ (Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA  
Tags: , , , , , , , , , , , ,

HAIKAI SER (Série Ode em casa)ROBERTA LESSA/MARIA AUGUSTA S. CALIARI


0af2e878419abac5642638fd097dd487

Quando eu crescer quero ser haikais…
SINTÉTICA
ESTÉTICA
PERIPATÉTICA
DIALÉTICA
PERFORMÁTICA
POÉTICA
ÉTICA
Quando eu crescer quero ser haikais…

MANSAMENTE
JUBILOSAMENTE
CORDIALMENTE
IMENSAMENTE
CRIATIVAMENTE
SUCINTAMENTE
JOCOSAMENTE

Quando eu crescer quero ser haikais…

INTENSA
PROPENSA
IMENSA
DISTENSA
SUSPENSA
APENSA
PROPENSA

Quando eu crescer quero ser haikais…

GOSTOSO
PODEROSO
DRASTOSO
AMISTOSO
MAJESTOSO
DENGOSO
LUSTROSO

Quando eu crescer quero ser haikais…

INTUÍDO
SENTIDO
EMERGIDO
FUNDIDO
COLORIDO
DIFUNDIDO
CEDIDO

Quando eu crescer quero ser haikais…

INTUIÇÃO
EMOÇÃO
CORAÇÃO
METRIFICAÇÃO
DIFUSÃO
INTERIORIZAÇÃO
SUGESTÃO

Quando eu crescer quero ser haikais…

VERDADEIRO
DERRADEIRO
ARTEIRO
GUERREIRO
BRASILEIRO
POETEIRO
ARTILHEIRO

EM DIÁLOGO COM A POESIA “HAICAI” DE AUTORIS DE MARIA UGENIA

Published in: on 19 de maio de 2016 at 3:08  Comentários desativados em HAIKAI SER (Série Ode em casa)ROBERTA LESSA/MARIA AUGUSTA S. CALIARI  
Tags: , , , , , , , , , , ,

http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/


Olá queridos(as)…

Faço parte do espaço poético virtual chamado Recanto das Letras, convido vocês para conhecerem.

Um abraço acarinhado.

HERÓIS EM CAUSAS (Série Filosofiando Ideias) ROBERTA LESSA/ JACÓ FILHO


editor_1422356145_0GQ6Nqfv

HAJA LUZ NO CAMINHAR
HAJA SOL NO OLHAR
HAJA LUZ E SOL EM TODOS NÓS
POIS ASSIM NÓS SERÃO DESATADOS

(…) Se assim continuarmos, esse será o caminho a trilhar que nos levará ao que realmente merecemos enquanto viajantes cósmicos.

Há ciclos no universo, e neles estamos inseridos enquanto participantes diretos e com ações concretas.

Podemos ou não optar pelos todos os locais que chegaremos e ou passaremos nessa pequena fase no universo que é nossa vida (…)

Que todos, indistintamente, meus pensamentos, atos e palavras confirmem realmente o que sou, estou e faço cotidianamente, assim farei minha parte com arte e sorte diante de minhas escolhas.

tenhamos todos um pleno e harmonioso dia.

QALCSC (RL): Acreditando e creditando na vida.

 

em diálogo com a poesia “Desejos Involuntários”

Published in: on 17 de março de 2016 at 19:29  Comentários desativados em HERÓIS EM CAUSAS (Série Filosofiando Ideias) ROBERTA LESSA/ JACÓ FILHO  
Tags: ,
O LADO ESCURO DA LUA

Minha maneira de ver, falar, ouvir e pensar o mundo... se quiser, venha comigo...

palavra[interna]

JAMES MORAIS & LAIANA DIAS | BRAZIL | Poesias & Reflexões

Liberte-se!

Tem coisas que só sai da gente por escrito.

Blog Pitacos e Achados

Dicas e Pitacos para o dia a dia

Curtir THE Novo

Espiritualidade, Alegria e tudo que há THE novo

DITIRAMBOS

Poemas, Ensaios, Críticas, Biografias, Tudo Sobre Poesia e Poetas Realmente Importantes. A Poesia em Diálogo com outras Artes. A isso se propõe o Ditirambos. Haroldo de Campos: Não importa de fato chamar o poema de poema: importa consumi-lo, de uma ou outra forma, como coisa.

Experimentarte

espaço de expressão do artista

Rubem Alves:

Ler é fazer amor com as palavras.(blog sobre Rubem Alves)

Rubem Alves | Blog não oficial

coletânea de textos desse grande Educador

Esquizofrenia das Artes

Blog dedicado a divulgação cultural e artística

Cacos Metafóricos

por Petterson Farias

Nas Duas Margens

Nas duas margens - blogue de Vamberto Freitas

O LIVRO DOS SERES IMAGINÁRIOS

Vivemos pelo poder das coisas que não existem. Por isso, os deuses são tão poderosos. (Paul Valery)

poesia lunar

cercada de poesia por todos os lábios

Portal Anarquista

pelo apoio mútuo e pela autogestão

Livro de Artista

Este blog tem como objetivo divulgar a Coleção Livro de Artista da Universidade Federal de Minas Gerais, a primeira coleção em uma biblioteca de universidade pública no Brasil. Iniciada em novembro de 2009 com a doação de um conjunto de livros de Alex Flemming, Guto Lacaz, Marilá Dardot e Paulo Bruscky. O acervo possui mais de 700 livros catalogados e atualmente é o maior acervo do Brasil.

%d blogueiros gostam disto: