Dá Licença Dona Rosa…(Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA


3d7d6a9dbf

Ô de casa…

Dá licença?

Senhora Dona Rosa: querida, sábia e luminosa poeta das letras por hora incabíveis no envelopado silêncio dos homens incultos na arte da boa escrita: atenta às suas palavras tão bem postas, ouso arriscar homenagear-lhe o talento.
– Soube das palavras e de todas formas à elas ainda por serem dadas, e de imediato a poesia se fez ato…
– Coube à elas, as palavras, saírem das métricas léxicas que as deixavam anoréxica do criar, distanciando o ser de seu próprio porvir…

– Houve de imediato um ato falho de minha parte, admito: reler e tentar compreender com a mente. E credito à isso minha tal inexperiência na escrita enriquecida de novas e necessárias linguagens e formas…

… e assim o fez com esmero, a rósea poeta, e com o desajuste devido, necessário e essencial de uma verdadeira dona de palavras, escreveu. Tão ensimesmada nem se percebe enquanto tal, poeta; pois tal e qual seu instrumento poético maior não mais cabe em si e se esvai em brumas de saberes que não se prendem jamais ao ilusório universo da normalidade forçada gerada em função dos que se moldam e nutrem o  compulsório e insaciável poder tão almejado por aqueles que se apropriam indevidamente dos libertários pores de sol que inspiram olhares, gestos e corações poéticos …

– Sei dos pores do sol, são eles portais que geram liberdade aos que sabem onde reside o verdadeiro  poder  Sacral.

Saístes de sua própria estética, nobre escritora, para galgar através de outras fonéticas, dimensões que só o doces e poderosos poetas sabem, devem, ousam e conseguem acessar.

Quisera eu um dia lá estar à galgar também esses saberes, dizeres e fazeres que poucos tem privilégio de alcançar.

À  todos deixo um infinito abraço munido de desejos de que tenhas um natal pleno de harmonia interior, entre os seus e todos os demais que tanto dela necessitam…

Com “A” de Afeto!

 

OBS.: Em diálogo com a crônica “Envelhescência”, de autoria de Rosa Alves. (Acesso: https://www.recantodasletras.com.br/cronicas/6204384 )

Anúncios
Published in: on 21 de dezembro de 2017 at 17:43  Comentários desativados em Dá Licença Dona Rosa…(Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA  
Tags: , , , ,

CARLOS BRASILIO CONTE (Série Ode Em Casa( ROBERTA LESSA)


FOTO POEMA- Universos me habitam.jpg

Que eu saiba tanto quanto o que sabes para poder eu  seguir em frente na minha senda.

Que eu possa tanto quanto o que podes para poder partir em segurança na minha rua.

Que eu busque tanto quanto o que buscas para poder eu fruir em harmonia na minha lida.

Que eu queira tanto quanto o que queres para poder eu  abstrair em luz na minha ciência.

Que eu mereça tanto quanto o que mereces para poder eu  adquirir em paz na minha vida.

Que eu reconheça tanto quanto o que reconheces para poder eu  resilir em fé na minha voz.

Que eu acesse tanto quanto o que acessas para poder eu suprir em força na minha calma.

 
CARLOS BRASÍLIO CONTE, PONTUAIS NOTAS DE SABEDORIA NO MOMENTO E MEDIDA EXATA…
Published in: on 16 de agosto de 2016 at 12:32  Comentários desativados em CARLOS BRASILIO CONTE (Série Ode Em Casa( ROBERTA LESSA)  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

DUDU FALCÃO (Série Ode Em Casa ) ROBERTA LESSA*


0000.jpg
TEMPO DE BOA MÚSICA
meu tempo é sempre
DIA DE BOA COMPANHIA
meu dia é hoje
HORA DE BOA MEMÓRIA
minha hora é constante
MINUTO DE BOA IDEIA
meu minuto é o bastante
SEGUNDO DE BOA POESIA
meu segundo é este
MOMENTO DE BOA VOZ
meu momento é agora
INSTANTE DE BOA PRESENÇA
meu instante é você
 
DUDU FALCÃO ME SURPREENDEU NAS ENTRE LINHAS DE MINHA POESIA, DEIXANDO -SE INVADIR E INVADINDO-ME À PONTO DE DEIXAR-ME TONTA DA VIDA E À SEGUIR À DERIVA DE SUA POESIA E MUSICALIDADE

GOSTO DE MINAS (Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA


giphy5

Gosto das artes de Minas…

TINTADAS
DECLAMADAS
REPRESENTADAS
ESCULPIDAS
CONTADAS
CONSTRUÍDAS
CANTADAS

Minas artesana a alma da gente…

Gosto dos cheiros de Minas…

COLHIDOS
SORVIDOS
INSPIRADOS
ABSORVIDOS
EXPANDIDOS
ESPARJIDOS
ASPIRADOS

Minas perfuma a vida da gente…

Gosto das colinas de Minas…

ONDULADAS
PLANTADAS
DESNUDADAS
PASTOREADAS
VERDEJADAS
AMPLIADAS
REINVENTADAS

Minas adentra a vida da gente

Gosto dos gostos de Minas…

LICOROSO
SABOROSO
DRASTOSO
CHEIROSOS
GOSTOSOS
SIGILOSOS
LUMINOSOS

Minas tempera a lida da gente.

Gosto das faces de Minas…

LUMARES
ESPETACULARES
COMPLEMENTARES
SECULARES
POPULARES
DISCIPLINARES
MILENARES

Minas representa a calma da gente.

Gosto dos rios de Minas…

CAUDALOSOS
SINUOSOS
CAPRICHOSOS
MISTERIOSOS
DADIVOSOS
EXPLENDOROSOS
RUIDOSO

Minas orienta o caminho da gente.

Gosto da poesia de Minas…

ARDENTES
CONSICENTES
ABRANGENTES
ABSORVENTES
ELEGANTES
APAIXONANTES
HILARIANTES

Minas mina no peito da gente

Published in: on 15 de junho de 2016 at 22:40  Comentários desativados em GOSTO DE MINAS (Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

NOVAMENTE FACURI (Ode Em Casa) ROBERTA LESSA/FACURI


images

 

Sei não… Facurizarei inspirando naquilo que é mestre.
Esse saber dissocia-se à medida que apreende lidas e vindas…
Sei não… Facurizarei sinalizando por vezes a poiesis.
Esse conter amplia-se à medida que compreende vindas e vidas…
Sei não… Facurizarei mensurando o quanto é talentoso.
Esse poder duplica-se à medida que estende às vidas e idas…
Sei não… Facurizarei aguardando na escrita elevar-me.
Esse querer desvela-se à medida que transforma as idas e sendas…
Sei não… Facurizarei olhando o quando o cosmo é arte.
Esse pender nutre-se à medida que compactua sendas e lendas…
Sei não… Facurizarei amando a expectativa da criação.
Esse deter encontra-se à medida que transforma lendas e fendas…
Sei não… Facurizarei esperando ver o tempo da poesia.
Esse ceder aprofunda-se à medida que une fendas e lidas…

Published in: on 29 de maio de 2016 at 12:06  Comentários desativados em NOVAMENTE FACURI (Ode Em Casa) ROBERTA LESSA/FACURI  
Tags: , , , , ,

ANIVERSÁRIO DA GRÁ (Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA


11174990_10205071617643214_3774925491046010916_n

Poderia presenteá-la com uma joia, das mais valiosas a única, e então o Sagrado fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre pérolas.

Poderia presenteá-la com um doce, dos mais saborosos, o único, e então o Eterno fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre delícias.

Poderia presenteá-la com uma flor, das mais perfumadas, a única, e então o Iluminado fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre aromas.

Poderia presenteá-la com um calçado, dos mais confortáveis, o único, mas o Pai fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre caminhos.

Poderia presenteá-la com uma roupa, das mais macias, a única,mas o Altíssimo fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre sentimentos.

Poderia presenteá-la com um afago, dos mais ternos, o único, mas o Sabedor fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre emoções.

Poderia presenteá-la com uma dádiva, das mais divinas, a única,  mas o Generoso fez-me escrevinhadora e pôs-me à escrever sobre tradições.

 

Em Homenagem à Graziela Angelucci, um ser de luz que me faz acreditar ainda mais no ser humano.

 

Published in: on 23 de maio de 2016 at 22:49  Comentários desativados em ANIVERSÁRIO DA GRÁ (Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA  
Tags: , , , , , , , , , , , ,

O PORQUE DO POETA (Série Diálogos Poéticos ) ROBERTA LESSA/JACÓ FILHO


19190_10204935800807878_7567041991754629844_n

QUAL A FUNÇÃO DO POETA?
Jogar palavras nas redes sabendo todos grumos pescar.
QUAL A JUNÇÃO DO POETA?
Pousar palavras nas nuvens querendo todos insumos alar.
QUAL A PAIXÃO DO POETA?
Flertar palavras nas sombras podendo todos humos amar.
QUAL A ILUSÃO DO POETA?
Cultivar palavras nas lidas torcendo todos rumos semear.
QUAL O JARGÃO DO POETA?
Frisar palavras nas peles contendo todos sumos vingar.
QUAL A OPINIÃO DO POETA?
Tocar palavras nas águas fazendo todos prumos fincar.
QUAL A DECISÃO DO POETA?
Lavrar palavras nas almas alvejando todos insumos forçar.

EM DIÁLOGO COM A POESIA “JORNADA EVOLUTIVA” DE AUTORIA DE JACÓ FILHO

Published in: on 20 de maio de 2016 at 19:42  Comentários desativados em O PORQUE DO POETA (Série Diálogos Poéticos ) ROBERTA LESSA/JACÓ FILHO  
Tags: , , , , , , , , , , , ,

HAIKAI SER (Série Ode em casa)ROBERTA LESSA/MARIA AUGUSTA S. CALIARI


0af2e878419abac5642638fd097dd487

Quando eu crescer quero ser haikais…
SINTÉTICA
ESTÉTICA
PERIPATÉTICA
DIALÉTICA
PERFORMÁTICA
POÉTICA
ÉTICA
Quando eu crescer quero ser haikais…

MANSAMENTE
JUBILOSAMENTE
CORDIALMENTE
IMENSAMENTE
CRIATIVAMENTE
SUCINTAMENTE
JOCOSAMENTE

Quando eu crescer quero ser haikais…

INTENSA
PROPENSA
IMENSA
DISTENSA
SUSPENSA
APENSA
PROPENSA

Quando eu crescer quero ser haikais…

GOSTOSO
PODEROSO
DRASTOSO
AMISTOSO
MAJESTOSO
DENGOSO
LUSTROSO

Quando eu crescer quero ser haikais…

INTUÍDO
SENTIDO
EMERGIDO
FUNDIDO
COLORIDO
DIFUNDIDO
CEDIDO

Quando eu crescer quero ser haikais…

INTUIÇÃO
EMOÇÃO
CORAÇÃO
METRIFICAÇÃO
DIFUSÃO
INTERIORIZAÇÃO
SUGESTÃO

Quando eu crescer quero ser haikais…

VERDADEIRO
DERRADEIRO
ARTEIRO
GUERREIRO
BRASILEIRO
POETEIRO
ARTILHEIRO

EM DIÁLOGO COM A POESIA “HAICAI” DE AUTORIS DE MARIA UGENIA

Published in: on 19 de maio de 2016 at 3:08  Comentários desativados em HAIKAI SER (Série Ode em casa)ROBERTA LESSA/MARIA AUGUSTA S. CALIARI  
Tags: , , , , , , , , , , ,

DONA BELINHA (Série Ode em Casa) ROBERTA LESSA


FOTO POEMA- Isabel

 

Dona Lindinha:
Gosto de delicadeza que engrandece meu ser.

Dona Florzica:
Cheiro de lindeza que aquece meu amanhecer.

Dona Amadinha:
Jeito de estranheza que merece meu bem querer.

Dona Belinha:
Forma de beleza que engrandece meu alvorecer

Dona Fadinha:
Porte de realeza que enobrece meu viver

Dona Isabel:
Vida de grandeza que apetece meu conhecer.

Dona Mainha:
Soma de delicadeza que enternece meu crer.

Published in: on 17 de maio de 2016 at 17:42  Comentários desativados em DONA BELINHA (Série Ode em Casa) ROBERTA LESSA  
Tags: , , , , , , , , , , ,

http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/


Olá queridos(as)…

Faço parte do espaço poético virtual chamado Recanto das Letras, convido vocês para conhecerem.

Um abraço acarinhado.

O LADO ESCURO DA LUA

Minha maneira de ver, falar, ouvir e pensar o mundo... se quiser, venha comigo...

palavra[interna]

JAMES MORAIS & LAIANA DIAS | BRAZIL | Poesias & Reflexões

Liberte-se!

Tem coisas que só sai da gente por escrito.

Curtir THE Novo

Espiritualidade, Alegria e tudo que há THE novo

marcianossabemler.wordpress.com/

Para gostar tanto de livros, só poder ser ETE!

DITIRAMBOS

Poemas, Ensaios, Críticas, Biografias, Tudo Sobre Poesia e Poetas Realmente Importantes. A Poesia em Diálogo com outras Artes. A isso se propõe o Ditirambos. Haroldo de Campos: Não importa de fato chamar o poema de poema: importa consumi-lo, de uma ou outra forma, como coisa.

Experimentarte

espaço de expressão do artista

Rubem Alves:

Ler é fazer amor com as palavras.(blog sobre Rubem Alves)

Rubem Alves | Blog não oficial

coletânea de textos desse grande Educador

Esquizofrenia das Artes

Blog dedicado a divulgação cultural e artística

Cacos Metafóricos

por Petterson Farias

Nas Duas Margens

Nas duas margens - blogue de Vamberto Freitas

O LIVRO DOS SERES IMAGINÁRIOS

Vivemos pelo poder das coisas que não existem. Por isso, os deuses são tão poderosos. (Paul Valery)

Poesia Lunar

cercada de poesia por todos os lábios

%d blogueiros gostam disto: