SER CIENTE (Série Diálogos Poéticos) RLESSA/FÁBIO BRANDÃO


0000

SILENTE SER
Mesmo com a alma corroída ocorrerá sempre o libertar da consciência.
SER CIENTE

SILENTE SER
Mesmo com a calma comovida surgirá sempre o liberar da paciência.
SER CIENTE

SILENTE SER
Mesmo com a fama destruída emergirá sempre o considerar da ciência.
SER CIENTE

SILENTE SER
Mesmo com a norma destituída encandecerá sempre o alar da potência.
SER CIENTE

SILENTE SER
Mesmo com a estima caída substanciará sempre o aclarar da coerência.
SER CIENTE

SILENTE SER
Mesmo com a cisma repetida carecerá sempre o ponderar da resiliência.
SER CIENTE

SILENTE SER
Mesmo com a rima prometida ocorrerá sempre o conjurar da essência.
SER CIENTE

EM DIÁLOGO COM O POEMA “SILÊNCIO”, DE AUTORIA DE FÁBIO BRANDÃO.

Published in: on 19 de novembro de 2016 at 18:52  Comentários desativados em SER CIENTE (Série Diálogos Poéticos) RLESSA/FÁBIO BRANDÃO  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

MUITOS EM MIM (Série Filosofiando Idéias) RLESSA


46493_4307416916746_1261506411_n.jpg

PARA MUITOS É HÁBITO DEIXAR O OUTRO PENSAR, PARA ALGUNS É CONFORTÁVEL CONSUMIR O JÁ MASTIGADO, PARA POUCOS É VISCERAL AFIRMAR QUE O MUNDO É REDONDO E GIRA EM TORNO DO SOL…


MUITOS PENSAM PENSAR…
ALGUNS PENSAM ESTAR…
POUCOS SÃO…

Published in: on 17 de novembro de 2016 at 17:05  Comentários desativados em MUITOS EM MIM (Série Filosofiando Idéias) RLESSA  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

FORÇA (Série Filosofiando Ideias) ROBERTA LESSA


6074_4058965545617_246697414_n

A força crística é alem de nossos humanos e falhos sentidos, desejos e percepções.

Enquanto nos perdemos em guerras egóicas ela é… enquanto vendemos imagens, ela é…

Enquanto buscamos verdades, ela é… ela é, ela faz, ela tem, ela …

Porque perdermos tempo com nossas limitações se podemos lapidar e melhorar nossos padrões e valores sabendo que deveríamos buscar a verdadeira face do Sagrado e não nos colocarmos, homens brancos, azuis, verdes, amarelos, quadriculados, pretos, como deuses:

–  Sermos imagem e semelhança do Sagrado jamais será o sermos se não considerarmos que nossa estrada ainda é tão infima diante a grandiosidade divinal.

GALO ZINHO (Série Folclórica Memória) ROBERTA LESSA


0 GALO

 

Zinho era branco, charmoso e sabia do peso de sua responsabilidade de guardador de seu reino galináceo, era enorme, cristas vermelhas, tremendo cara de pau que fazia cara de mau, mas de galo só a cara, pois tenho certeza que ele acreditava ser gente, tudo bem: gente de pena, mas gente…

E todos nós em casa já tínhamos certeza disso, ele era dono de pedaço, malandro,  sabichão, “galante”, mas um galo de boa estirpe, caipira de raça e trejeitos. Muitas vezes até parecia ator de cinema, fazia até caras e bocas para fotos, isto é, caras e bicos…

Minha avó balançava a cabeça desacreditando no seu poder galináceo, a vizinhança já sabia ser a hora da lida quando ele começava  sua desafinada e nada discreta cantoria… Cada dia uma novidade… podia ser de manhã, de tarde e até mesmo pela madrugada se algum animal safadinho quisesse roubar seus filhos ainda em casca, podia ser animal de pelo, de pena ou gente matreira mesmo, bastava entrar no seu terreiro e a confusão começava, enrar até entrava, mas sair, aí era a dificuldade…

De manhã a gente espiava pela cerca de bambu aramado e ríamos… ríamos porque alí dentro escondidinho e esperando estava Zinho, só entrava quem ele deixava ou quem vinha com o balde de milho recém debulhado, e  a família galinácea só se achegava depois da inspeção de Zinho que depois de vistoriara segurança do terreiro batia suas asas e cantarolava a sua tão conhecida cantoria de boas vinda.

Esse era Zinho, meu  Galo Zinho… Ai qu baita saudadinha danadinha de boa.

GALO ZINHO

CANTANDO ALTO
MADRUGA NO POLEIRO
MEU GALO ZINHO

E ZINHO CANTA
DESPERTA GALINHEIRO
MILHO P’RA COMER

RISCA TERREIRO
ZINHO VAI E ZINHO VEM
SEU LAR GUARDA BEM

NOITE É QUIETA
GALO ZINHO SOSSEGA
DORMINHOCO SER

GRANDES ESPORAS
MOSTRA ÀS INVASORAS
RAPOSAS FOGEM

SABE SEU VALOR
AMOR ZINHO TEM DE MAIS
OVOS À CUIDAR

PATA CISCA CHÃO
SABE BEM COCORICAR
DE PAPO CHEIO

Brincadeirinhas à parte Galo Zinho foi um grande amigo de minha infância, juntamente com Totó e suas cabras, General e sua prole canina,  Seu Boi Dão e a vacaria toda, os ganços Gançola e Gandola, Pato Aquada e a pataria desbocada, Baio e Malhado com sua potrinha, Óinc o porco sabichão e suas leitoinhas e tantos outros personagens pra lá de animalescos e que eu amava muito e é claro o inesquecível Galo Zinho e toda sua prole galináceas, todos com nomes próprios e dignos das características físicas que traziam de berço… Cada um personagem com nome dado pela minha família. Essa é a cara de minha gente, gente da  roça, de terra, gente de alma de gente e de amor pelos animais…

EM DIÁLOGO COM A POESIA “GALO EXIBIDO” DE AUTORIA DE UMA MULHER UM POEMA.

CARTA AO PRE SUPOSTO (Série Filosofiando Ideias) ROBERTA LESSA


03272016002008

 

Em oposição ao determinado, o poeta despe-se de perfídias e cobiça toda a vida fazendo del sua morada, feita de estradas mau riscadas. Ser poeta é reiterar-se de que é também todos os riscos  por traçar por entre páginas onde as futuras e possíveis paisagens possam transformarem-se em paisagens de complexa coloração. Em ócio de morte sua arte vivifica o que se deseja em pensamentos e causa por vezes infinda necessidade de reconstituir aquilo que  se transforma em memorial e que determina e denomina todo o seu  viver enquanto fazedor de ideias por se gerar pulsação pelo que considera nutriente de toda sua existência, sua têmpera é nutrição de muitos que ainda o leem e em ousadia saboreiam,.

Published in: on 8 de junho de 2016 at 6:00  Comentários desativados em CARTA AO PRE SUPOSTO (Série Filosofiando Ideias) ROBERTA LESSA  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

SEM TEMPO(Série Reflexiva) ROBERTA LESSA


ezgif-com-optimize252842529

TEMPO HILÁRIO ESSE

rompe sinas
sinas rompidas
cessa temores
temores cessados
cria vidas
vidas criadas
cede tempo
tempo cedido
pede forças
forças pedidas
cala vozes
vozes caladas
move algemas
algemas movidas

TEMPO TEMERÁRIO ESSE

canta versos
versos contados
 
conta causos
causos cedidos
 
cede espaço
espaço causados
 
curva passos
pessoas causados
 
cumpre meios
meios colados
 
cola formas
formas celadas
 
cela face
faces rompidas

TEMPO FUNDIÁRIO ESSE

reza sedas
sedas raladas
 
rala terras
terras rasgadas
 
rasga medos
medos raiados
 
raia sóis
rói riscados
 
risca estradas
estradas roídas
 
rói uompe sinas
sinas rompidas
 
rompe mãos
mão rezadas

TEMPO DEFICITÁRIO ESSE

sabe estórias
estórias saradas
 
sara dores
dores sangradas
 
sangra peitos
peitos sondados
 
sonda gestos
gestos selados
 
sela beijos
beijos sentidos
 
sente espaço
espaço singrado
 
singra sonhos
sonhos sabidas

TEMPO ORDINÁRIO ESSE

busca amores
amores bebidos
 
bebe favores
favores bolados
 
bola surtos
surtos bancados
 
banca nomes
nomes brindados
 
brinda rostos
rostos benzido
 
benze corpos
corpos bloqueados
 
bloqueia inimigos
inimigos buscados

TEMPO CONTRÁRIO ESSE

amplia segundos
segundos adiados
 
adia vidas
vidas amadas
 
ama homens
homens alados
 
ala gostos
gostos acertados
 
acerta modos
modos aliados
 
alia fatos
fatos ajudados
 
ajuda seres
seres ampliados

TEMPO IDEÁRIO ESSE

mede dizeres
dizeres medrados
 
medra fazeres
fazeres mentidos
 
mente dizeres
dizeres mudados
 
muda quereres
quereres mitigados
 
mitiga poderes
poderes marcados
marca saberes
saberes merecidos
 
merece temores
temores medidos

EM DIÁLOGO COM A POESIA “TUAS PALAVRAS” DE AUTORIA DE JACÓ FILHO.

Published in: on 20 de maio de 2016 at 19:45  Comentários desativados em SEM TEMPO(Série Reflexiva) ROBERTA LESSA  
Tags: , ,

ACULTURÁVEL SER (Série Reflexiva)ROBERTA LESSA


10303875_10202747251655517_3150598605563323577_n
SOBRE CULTURA NADA OU TUDO A DIZER.
SOBRE CULTURA NADA OU TUDO A FAZER
SOBRE CULTURA NADA OU TUDO A DETER
SOBRE CULTURA NADA OU TUDO A COZER
SOBRE CULTURA NADA OU TUDO A BATER
SOBRE CULTURA NADA OU TUDO A PODER
SOBRE CULTURA NADA OU TUDO A VALER
“Cultura significa todo aquele complexo que inclui o conhecimento, a arte, as crenças, a lei, a moral, os costumes e todos os hábitos e aptidões adquiridos pelo ser humano não somente em família, como também por fazer parte de uma sociedade da qual é membro.”
FOTO POEMA - Insana Propositura (Roberta Lessa)
CULTURA É BENZIMENTO
CULTURA É ACULTURAMENTO
CULTURA É DISCERNIMENTO
CULTURA É EMPODERAMENTO
CULTURA É ENRIQUECIMENTO
CULTURA É CONHECIMENTO
CULTURA É ACOLHIMENTO
“Cada país tem a sua própria cultura, que é influenciada por vários fatores. A cultura brasileira é marcada pela boa disposição e alegria, e isso se reflete também na música, no caso do samba, que também faz parte da cultura brasileira. No caso da cultura portuguesa, o fado é o patrimônio musical mais famoso, que reflete uma característica do povo português: o saudosismo.”Cultura na língua latina, entre os romanos, tinha o sentido de agricultura, que se referia ao cultivo da terra para a produção, e ainda hoje é conservado desta forma quando é referida a cultura da soja, a cultura do arroz etc. Cultura também é definida em ciências sociais como um conjunto de ideias, comportamentos, símbolos e práticas sociais, aprendidos de geração em geração através da vida em sociedade. Seria a herança social da humanidade ou ainda, de forma específica, uma determinada variante da herança social. Já em biologia a cultura é uma criação especial de organismos para fins determinados.”
download
PODE CULTURA MEDIR
PODE CULTURA PEDIR
PODE CULTURA COIBIR
PODE CULTURA PARIR
PODE CULTURA SORRIR
PODE CULTURA FLORIR
PODE CULTURA LUZIR
“A principal característica da cultura é o mecanismo adaptativo, que consiste na capacidade que os indivíduos têm de responder ao meio de acordo com mudança de hábitos, mais até que possivelmente uma evolução biológica. A cultura é também um mecanismo cumulativo porque as modificações trazidas por uma geração passam à geração seguinte, onde vai se transformando, perdendo e incorporando outros aspetos procurando assim melhorar a vivência das novas gerações. A cultura é um conceito que está sempre em desenvolvimento, pois com o passar do tempo ela é influenciada por novas maneiras de pensar inerentes ao desenvolvimento do ser humano.”
FOTO POEMA-À
TODA CULTURA PODE CONTESTAR
TODA CULTURA PODE CONSCIENTIZAR
TODA CULTURA PODE LIBERTAR
CULTURA PODE AMPLIAR
TODA CULTURA PODE FOMENTAR
TODA CULTURA PODE SALVAR
TODA CULTURA PODE ALIENAR
“Cultura organizacional: O conceito de cultura organizacional remete ao conjunto de normas, padrões e condições que definem a forma de atuação de uma organização ou empresa.”
11034898_10204837044219025_430862342543542896_n
DENTRO DA CULTURA O RESPEITO
DENTRO DA CULTURA O ACEITO
DENTRO DA CULTURA O DEFEITO
DENTRO DA CULTURA O REGEITO
DENTRO DA CULTURA O REFEITO
DENTRO DA CULTURA O DESPEITO
DENTRO DA CULTURA O PLEITO
“Cultura Popular: A cultura popular é algo criado por um determinado povo, sendo que esse povo tem parte ativa nessa criação. Pode ser representada pela literatura, música, arte, dança e etc. A cultura popular é influenciada pelas crenças do povo em questão e é formada graças ao contato entre indivíduos de certas regiões.”
editor_1424880447_na6vts5r-2r
PARA CULTURA LIBERDADE
PARA CULTURA IDONEIDADE
PARA CULTURA SERENIDADE
PARA CULTURA IGUALDADE
PARA CULTURA IDENTIDADE
PARA CULTURA ESPONTANEIDADE
PARA CULTURA SUBJETIVIDADE
“Cultura na Filosofia: De acordo com a filosofia, a cultura é o conjunto de manifestações humanas que contrastam com a natureza ou o comportamento natural.É uma atitude de interpretação pessoal e coerente da realidade, destinada as posições suscetíveis de valor íntimo, argumentação e aperfeiçoamento.Além dessa condição pessoal, cultura envolve sempre uma exigência global e uma justificação satisfatória, sobretudo para o próprio.Podemos dizer que há cultura quando essa interpretação pessoal e global se liga a um esforço de informação, no sentido de aprofundar a posição adotada de modo a poder intervir em debates. Essa dimensão pessoal da cultura, como síntese ou atitude interior, é indispensável.”
11079522_10204818298230387_6784272224189450814_n
CULTURA ETERNAMENTE
CULTURA MANSAMENTE
CULTURA UNIVERSALMENTE
CULTURA RELIGIOSAMENTE
CULTURA RITUALISTICAMENTE
CULTURA INFINITAMENTE
CULTURA ARTISTICAMENTE
“Cultura na Antropologia: A cultura na antropologia é compreendida como a totalidade dos padrões aprendidos e desenvolvidos pelo ser humano.Este tipo de cultura tem como objetivo representar o saber experiente de uma comunidade, saber obtido graças à sua organização espacial, na ocupação do seu tempo, na manutenção e defesa das suas formas de relação humana. Estas manifestações constituem aquilo que é denominado como a sua “alma cultural”, os ideais estéticos e diferentes formas de apresentação.”
0
PEÇAM-ME CULTURA AO INVÉS DE SILÊNCIO
PEÇAM-ME CULTURA AO INVÉS DE BENEFÍCIO
PEÇAM-ME CULTURA AO INVÉS DE SUPLÍCIO
PEÇAM-ME CULTURA AO INVÉS DE COMÉRCIO
PEÇAM-ME CULTURA AO INVÉS DE DESPERDÍCIO
PEÇAM-ME CULTURA AO INVÉS DE ARTIFÍCIO
PEÇAM-ME CULTURA AO INVÉS DE COMÍCIO
EM DIÁLOGO COM UMA PESSOA “LETRADA”, “MESTRA”, AO QUESTIONAR -ME SOBRE O VALOR DE UM MINISTÉRIO DA CULTURA. (RESERVO-ME O DIREITO DE OCULTAR O NOME DE QUEM QUESTIONA, MAS CERTAMENTE ESSE SER LERÁ ISSO.
Published in: on 18 de maio de 2016 at 22:48  Comentários desativados em ACULTURÁVEL SER (Série Reflexiva)ROBERTA LESSA  
Tags: , , ,

ENCANTADOR DESPERTAR (Série Diálogos Poéticos) ROBERTA LESSA/FÁBIO BRANDÃO


giphy8

Estou aqui nesse instante, desse lado da tela, ouvindo no silêncio da madrugada, o galo cantador e percebo ser esse mais um sinal de que o dia inicia e que é chegada a hora do despertar de determinados seres.

– A lida lá fora se espalha em movimentos  e barulhos.

É também a hora dos amantes repousarem-se um no e para o outro, inertes e na sorte de terem se nutrido de eternidade que jamais posso eu descrever. ah insanos prazeres que na madrugada foram deixados.

O amor introduz na vida de nós humanos e detentores desse sentir, o gosto pelo viver com um sabor  da esperança ainda que diferenciada de um para outro, de vivenciar a plenitude e harmonia  de ser uno com o universo que habitamos. Sabe ele, das (in) verdades do dia que amanhece, das pálpebras que fecham ao toque dos lábios que se despedem e selam pactos.

Hoje o galo desperta-me para o aguardar esperanças já anteriormente plantadas em meu peito, e o dia se desvela pelos sons que de longe me chegam da rua anunciando o movimento natural e inevitável da vida  que desperta lá fora.

– O jornal é jogado pelo portão e aguarda silente e pacientemente sua leitura acompanhada do doce sabor do café recém coado.

Ao ler-te neste instante percebo possibilidades da poesia ser companhia daqueles que a nutrem no mais profundo âmago daquilo que acreditam ser e viver. Sim admito-me ser prolixa em minha escrita, e sei correr o risco da incompreensão de quem neste instante me lê e deixo propositadamente sinais literários feito pistas que possam possibilitar ao leitor talvez mínima compreensão do que é meu despertar de hoje e na esperança de deter sua necessária atenção.

– A oração matinal revoga-me o direito de permanecer nesse onírico devaneio, há lida lá fora.

Minha crença é de que nesse dia que inicia possamos sim gozar a dádiva do bem viver e creio também de sermos privilegiados pela oportunidade de conectarmos com cada uma de nossas verdades interiores mais significativas, nossas realidades vivenciais, nossas escolhas e principalmente oportunidade de acreditar, eu nesse caso, não ser ao acaso estar aqui nesse instante a escrever sobre seu belo poetar.

– Tornei-me refém de minha imperícia em descrever o amor com tamanha destreza e escrava sou dos que dele sabem poeticamente escrever e assim tão bem o sinalizam como o bem maior da humanidade.

EM DIÁLOGO COM A POESIA “A REALIDADE DO AMOR”, DE AUTORIA DE FÁBIO BRANDÃO

Published in: on 15 de maio de 2016 at 6:15  Comentários desativados em ENCANTADOR DESPERTAR (Série Diálogos Poéticos) ROBERTA LESSA/FÁBIO BRANDÃO  
Tags: , , , , , , , , , , , ,

ODE À PIRACICABA (Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA


901555_10200257155764676_1515363503_o

GOSTO DE LAR

Portas, cheiros, terra em profusão de saudade.

GOSTO DE TERRA

Canteiros, sementes, gente em emoção de vontade.

GOSTO DE GENTE

Peles, gestos, rio em condição de vivacidade.

GOSTO DE RIO

Peixes, águas, arte em percepção de cidade.

GOSTO DE ARTE

Cores, texturas, vida, em criação de diversidade.

GOSTO DE VIDA

Lidas, cotidianos, colina, em saudação de verdade.

GOSTO DE COLINA

Cidade, coração, casa, em contemplação de cidade.

Published in: on 14 de abril de 2016 at 16:04  Comentários desativados em ODE À PIRACICABA (Série Ode Em Casa) ROBERTA LESSA  
Tags: , ,

MEUS CAMINHOS (Série Apenas Uma Frase) ROBERTA LESSA*


00

Imagem da Internet

 

O encantador não são os caminhos serem tortuosos, mas a forma de caminhar e atingir metas jamais deixando de apreciar cada passo dado, cada respirar por admiração pelo que se vê e apreende nessa caminhar…

Published in: on 14 de abril de 2016 at 15:35  Comentários desativados em MEUS CAMINHOS (Série Apenas Uma Frase) ROBERTA LESSA*  
Tags: , , ,
O LADO ESCURO DA LUA

Minha maneira de ver, falar, ouvir e pensar o mundo... se quiser, venha comigo...

palavra[interna]

JAMES MORAIS & LAIANA DIAS | BRAZIL | Poesias & Reflexões

Liberte-se!

Tem coisas que só sai da gente por escrito.

Curtir THE Novo

Cultura e entretenimento

marcianossabemler.wordpress.com/

Para gostar tanto de livros, só poder ser ETE!

DITIRAMBOS

Poemas, Ensaios, Críticas, Biografias, Tudo Sobre Poesia e Poetas Realmente Importantes. A Poesia em Diálogo com outras Artes. A isso se propõe o Ditirambos. Haroldo de Campos: Não importa de fato chamar o poema de poema: importa consumi-lo, de uma ou outra forma, como coisa.

Experimentarte

espaço de expressão do artista

Rubem Alves:

Ler é fazer amor com as palavras.(blog sobre Rubem Alves)

Rubem Alves | Blog não oficial

coletânea de textos desse grande Educador

Esquizofrenia das Artes

Blog dedicado a divulgação cultural e artística

Cacos Metafóricos

por Petterson Farias

Nas Duas Margens

Nas duas margens - blogue de Vamberto Freitas

O LIVRO DOS SERES IMAGINÁRIOS

Vivemos pelo poder das coisas que não existem. Por isso, os deuses são tão poderosos. (Paul Valery)

Poesia Lunar

cercada de poesia por todos os lábios

%d blogueiros gostam disto: