SONHANTE (Série Poema no Poema)ROBERTA LESSA


PUDERA EU FLORESCER
sonho, sonho, sonho
CRESCERIA EM AMORES

PUDERA EU EVANESCER
sinto, sinto, sinto
RIRIA EM DISSABORES

PUDERA EU AMANHECER
canto, canto, canto
SORRIRIA EM HUMORES

PUDERA EU AQUIESCER
danço, danço, danço
AGIRIA EM ARREDORES

PUDERA EU DECRESCER
vento, vento, vento
GRITARIA EM ARDORES

PUDERA EU ADOLESCER
tempo, tempo, tempo
ROMPERIA EM RUBORES

PUDERA EU ENALTECER
pinço, pinço, pinço
CANTARIA EM LABORES

Published in: on 18 de julho de 2017 at 17:10  Comentários desativados em SONHANTE (Série Poema no Poema)ROBERTA LESSA  
Tags: , , ,

INSENSATEZ (Série Poema no Poema) ROBERTA LESSA/JACÓ FILHO


00000000.jpg

GOSTO DE SABORES
Vejo-me nua ainda nas escolhas desesperadas.
ENTRE O BEM E O MAL

GOSTO DE SABERES
Percebo-me crua ainda nas vidas desertificadas.
ENTRE O DOCE E O SAL

GOSTO DE PODERES
Enlouqueço-me sua ainda nas mãos esperadas .
ENTRE O SUTIL E O BOÇAL

GOSTO DE FAZERES
Abstenho-me oblíqua ainda nas formas inusitadas.
ENTRE O INÍCIO E O FINAL

GOSTO DE DIZERES
Permaneço-me árdua ainda nas peles desbravadas.
ENTRE O REAL E O SURREAL

GOSTO DE VALORES
Reconheço-me ingênua ainda nas volúpias empregadas.
ENTRE O MORAL E O IMORAL

GOSTO DE RUMORES
Ofereço-me sua ainda nas palavras decantadas.
ENTRE O IGUAL E O DESIGUAL

 

EM DIÁLOGO COM O POEMA “O AMOR E A POESIA”, DE AUTORIA DE JACÓ FILHO.

 

ACESSO EM: http://www.recantodasletras.com.br/poesias/5938350

CASTELOS ENVIESADOS ROBERTA LESSA/CÂNDIDO PAULO DOMINGUES


406011_4676763750186_1747697207_n

 

CASTELOS PEDRAS
encantando luzes
CASTELOS E PEDRAS
enfrentando cruzes
CASTELOS EM PEDRAS
enunciando pazes
CASTELOS COM PEDRAS
encarando matizes
CASTELOS PARA PEDRAS
enamorando diretrizes
CASTELOS ENTRE PEDRAS
enfadando aprendizes
CASTELOS CONTRA PEDRAS
engajando lucidezes

 

EM DIÁLOGO COM O POEMA “O TEMPO” DE AUTORIA DE CANDIDO PAULO DOMINGUES.

ACESSO EM:

http://www.recantodasletras.com.br/pensamentos/5887350

Published in: on 28 de janeiro de 2017 at 6:32  Comentários desativados em CASTELOS ENVIESADOS ROBERTA LESSA/CÂNDIDO PAULO DOMINGUES  
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

FEITIO DO POETA (Série Diálogos Poéticos) ROBERTA LESSA/JACÓ FILHO


487554_4121180180944_923245650_n

 

POEMAS SÃO PARA LEITURAS

feitos em folhas de alvas ideias
feitos em férias de nuas aldeias
feitos em filhas de almas cheias
feitos em  floras de vias  alheias 
feitos em feixes de vívidas teias
feitos em falhas de boas aldeias
feitos em fluxos de bel candeias

LEITURAS SÃO PARA POETAS

podendo esclarecer e insandecer
podendo insandecer e engrandecer
podendo engrandecer e alvorecer
podendo alvorecer e florecer
podendo florecer e envolver
podendo envolver e acontecer
podendo acontecer e esclarecer

POETAS SÃO PARA FEITURAS

meneando palavras e semeando rimas
semeando palavras e permeando rumos
permeando palavras e margeando risos
margeando palavras e norteando rezas
norteando palavras e pleiteando raças
pleiteando palavras e folheando ramos
folheando palavras e meneando rosas

FEITURAS SÃO PARA POESIAS

onde a estrutura é a imaginação
onde a desenvolvtura é a razão
onde a cultura é a iluminação
onde a releitura é a humanização
onde a compostura é a união
onde a gramatura é a previsão
onde a fartura é a harmonização

 

POESIAS SÃO PARA AVENTURAS

que chegam e assim se elevam
que elevam e assim se entregam
que entregam e assim se miram
que miram e assim se conjuram
que conjuram e assim se moldam
que moldam e assim se aguardam
que aguardam e assim se pairam

AVENTURAS SÃO PARA POUCOS

todos podem tentar e ir além
todos devem levar e ir além
todos pedem dosar e ir além
todos fazem amar e ir além
todos querem somar e ir além
todos regem luar e ir além
todos sabem dosar e ir além

POUCOS SÃO PARA POEMAS

poucos são, muitos nem tão assim
poucos tão, muitos nem tão enfim
poucos não, muitos nem tão afim
poucos irão, muitos nem tão confim
poucos farão, muitos nem tão ruim
pouco acharão, muitos nem tão motim
poucos luarão, muitos nem tão cetim

 

EM DIÁLOGO COM O POEMA “POR TI ESCOLHIDO”, DE AUTORIA DE  JACÓ FILHO.

 ACESSO EM:

IMPOETÁVEL ( Série Diálogos Poéticos) ROBERTA LESSA/ JACÓ FILHO


05132016193220

 

Quanta grandiosidade há no coração do poeta?
Ah, isso é imensurável…

Quanta felicidade há na proposição do poeta?
Ah, isso é infindável…

Quanta ludicidade há na disposição do poeta?
Ah, isso é inenarrável…

Quanta criatividade há na comunicação do poeta?
Ah, isso é impublicável…

Quanta generosidade há na intensão do poeta?
Ah, isso é impublicável…

Quanta bondade há na comoção do poeta?
Ah, isso é inumerável…

Quanta responsabilidade há na apalavrinhação do poeta?
Ah, isso é incontestável…

 
EM DIÁLOGO COM A POESIA “SIMPLIFICANDO” DE AUTORIA DE JACÓ FILHO.

Published in: on 16 de maio de 2016 at 15:45  Comentários desativados em IMPOETÁVEL ( Série Diálogos Poéticos) ROBERTA LESSA/ JACÓ FILHO  
Tags: , , , , , , , , , , , ,

UM TANTO DE MEU TANTO-TANTO (Série Poema no Poema) ROBERTA LESSA


FOTO POEMA - Onírica Hora

Foto Poema-Roberta Lessa

Há pessoas que amo tanto-tanto, que até me espanto de amor.
AMORES POVOAM-ME E ME PREENCHEM DE CALORES.
Há coisas que amo tanto-tanto que até me encanto de calor.
CALORES ADENTRAM-ME E ME COLOREM DE VALORES.
Há animais que amo tanto-tanto que até me decanto de valor.
VALORES PERMEIAM-ME E ME  ESPARGEM TORPORES.
Há sensações que amo tanto-tanto que até me levanto de torpor.
TORPORES PAIRAM-ME E ME TENDEM VIGORES.
Há poetas que amo tanto-tanto que até me levanto de vigor.
VIGORES RESSOAM-ME E ME PERFAZEM HUMORES.
Há lugares que amo tanto-tanto que até me garanto de humor.
HUMORES ECOAM-ME E ME ALUDEM ARDORES.
Há seres que amo tanto-tanto que até me acalanto de ardor.
ARDORES DIVISAM-ME E ME ABSORVEM AMORES.
Published in: on 15 de abril de 2016 at 4:14  Comentários desativados em UM TANTO DE MEU TANTO-TANTO (Série Poema no Poema) ROBERTA LESSA  
Tags: ,

ALMAS (Série Poema no Poema)ROBERTA LESSA*


Série Foto Poema - Roberta Lessa

Série Foto Poema – Roberta Lessa

À PENSAR
Há almas que querem elevação mesmo sem condição.
HÁ PENSAR

À PINTAR
Há almas que pedem renovação mesmo sem elevação.
HÁ PINTAR

À PENAR
Há almas que cedem emoção mesmo sem renovação.
HÁ PENAR

À PULSAR
Há almas que bebem ilusão mesmo sem emoção.
HÁ PULAR

À PINÇAR
Há almas que descem gradação mesmo que sem ilusão.
HÁ PINÇAR

À PECAR
Há almas que inibem superação mesmo que sem gradação.
HÁ PECAR

À PAUSAR
Há almas que fundem elevação mesmo sem superação.
HÁ PAUSAR

Published in: on 1 de abril de 2016 at 15:44  Comentários desativados em ALMAS (Série Poema no Poema)ROBERTA LESSA*  
Tags: , , ,

PRAZER EM ATIRAR PEDRAS (Série Filosofiando Ideia) ROBERTA LESSA


1797358_10202459047930604_1592395837_n

 

PEDRAS ATIRADAS
Entre estradas e amores memórias convergem.
Entre espadas e favores histórias divergem.
Entre risadas e  flores glórias emergem.
Entre labiadas e fatores artérias espargem.
Entre postergadas e pudores alforrias insurgem.
Entre eivadas e pormenores vitórias surgem.
Entre ceifadas e valores matérias persistem.

PEDRAS CALCIFICADAS
Sobre conversão o que há se não biotipia.
Sobre conexão o que há se não antropia.
Sobre conversação o que há se não miopia.
Sobre condição o que há se não utopia.
Sobre compreensão o que há se não terapia.
Sobre complicação o que há se não ciclopia.
Sobre compilação o que há se não entropia.

PEDRAS DANIFICADAS
Com alma dolorida retiram escuridão os lumes.
Com alma corroída miram forças os fracos
Com alma distraída juram sorte os azares.
Com alma condoída armam idas as vindas.
Com alma ferida falam muito os poucos.
Com alma sentida calam vozes os silêncios.
Com alma sofrida doam  desertos as águas.

PEDRAS COPIADAS
Sob sombras erguem plágios as vontades.
Sob solos emergem naufrágios as
Sob solas mantem litígios as vaidades
Sob sondas emitem adágios as saudades
Sob sobras sentem presságios entidades.
Sob socos mentem elogios as debilidades.
Sob sopros emitem pífios as realidades.

PEDRAS ROUBADAS
Se polidas mascaram desejos reprimidos.
Se erigidas misturam lampejos supridos.
Se aludidas retiram gracejos doloridos.
Se suprimidas respiram manejos tolhidos.
Se colididas suspiram adejos polidos.
Se induzidas giram arquejos devidos.
Se desferidas rutilam traquejos idos.

Published in: on 18 de março de 2016 at 18:51  Comentários desativados em PRAZER EM ATIRAR PEDRAS (Série Filosofiando Ideia) ROBERTA LESSA  
Tags: , ,

MUDANÇA DE CONVERSA(Série Diálogo com) ROBERTA LESSA/FÁBIO BRANDÃO


ROBERTA LESSA -FOTO POEMA

ROBERTA LESSA -FOTO POEMA

Se desa(r)mado estou, vem o poeta e muda a rima e o rumo.
ACERTADAMENTE:
Desde que cambiei desarmado por amor o rumo traçou novas rotas.

Se desa(l)mado estou, vem o poeta e muda o rumo e a rota.
INADEQUADAMENTE:
Desde que troquei desalmado por amor a rota traçou novos rumos.

Se desa(ca)mado estou, vem o poeta e muda a rota e o riso.
COERENTEMENTE
Desde que comutei desacamado por amor o riso traçou novas rotas.

Se desa(cla)mado estou, vem o poeta e muda o riso e a reta.
IMPUNEMENTE
Desde que mutuei desaclamado por amor as reta traçou novos risos
.
Se desa(rru)mado estou, vem o poeta e muda a reta e o rito.
IMEDIATAMENTE
Desde que permutei desarrumado por amor o rito traçou novas retas.

Se desa(lar)mado estou, vem o poeta e muda o rito e a runa.
CONTUNDENTEMENTE:
Desde que reciproquei desalarmado por amor a runa traçou novos ritos.

Se desa(pru)mado estou, vem o poeta e muda a runa e o ramo.
MARAVILHOSAMENTE:
Desde que substitui desaprumado por amor o ramo traçou novas runas.

Published in: on 5 de outubro de 2015 at 17:31  Comentários desativados em MUDANÇA DE CONVERSA(Série Diálogo com) ROBERTA LESSA/FÁBIO BRANDÃO  
Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

SOBRE FRAGMENTOS DO PENSAR I – (Série Filosofiando Idéias)


Imagem: Internet Livre

Imagem: Internet Livre

FILOSOFIANDO IDÉIAS – SOBRE ALGO QUE NOS PROTEGE

Que Algo proteja meu ar, para que haja brisas e boas novas todas as manhãs.
Que Algo proteja meu chão, para que haja solo e perspectiva à plantar.
Que Algo proteja meu seguir, para que haja caminhos e inspiração no caminhar
Que Algo proteja meu coração, para que haja ritmo e sentimento no viver.
Que Algo proteja meu pensar, para que haja arte e reflexão no que sou.
Que Algo proteja meu ir, para que haja porvir e redenção ao retornar.
Que Algo proteja meu vir, para que haja portas e almas abertas a me receber.
FILOSOFIANDO IDÉIAS – SOBRE ALGO QUE NOS PROJETE.

Published in: on 4 de setembro de 2015 at 18:20  Comentários desativados em SOBRE FRAGMENTOS DO PENSAR I – (Série Filosofiando Idéias)  
Tags: , , , , , , , , , , , , ,
O LADO ESCURO DA LUA

Minha maneira de ver, falar, ouvir e pensar o mundo... se quiser, venha comigo...

palavra[interna]

JAMES MORAIS & LAIANA DIAS | BRAZIL | Poesias & Reflexões

Liberte-se!

Tem coisas que só sai da gente por escrito.

Curtir THE Novo

Cultura e entretenimento

marcianossabemler.wordpress.com/

Para gostar tanto de livros, só poder ser ETE!

DITIRAMBOS

Poemas, Ensaios, Críticas, Biografias, Tudo Sobre Poesia e Poetas Realmente Importantes. A Poesia em Diálogo com outras Artes. A isso se propõe o Ditirambos. Haroldo de Campos: Não importa de fato chamar o poema de poema: importa consumi-lo, de uma ou outra forma, como coisa.

Experimentarte

espaço de expressão do artista

Rubem Alves:

Ler é fazer amor com as palavras.(blog sobre Rubem Alves)

Rubem Alves | Blog não oficial

coletânea de textos desse grande Educador

Esquizofrenia das Artes

Blog dedicado a divulgação cultural e artística

Cacos Metafóricos

por Petterson Farias

Nas Duas Margens

Nas duas margens - blogue de Vamberto Freitas

O LIVRO DOS SERES IMAGINÁRIOS

Vivemos pelo poder das coisas que não existem. Por isso, os deuses são tão poderosos. (Paul Valery)

Poesia Lunar

cercada de poesia por todos os lábios

%d blogueiros gostam disto: